Seguidores: é só clicar em seguir! Não precisa ter blog, só qualquer end. do Google.

domingo, 19 de agosto de 2012

Atividades com textos


TEXTO 1: HORÓSCOPO

- Telefonaram do escritório, bem. Seu chefe mandou perguntar por que você não foi trabalhar.
- E você deu o motivo?
- Não.
- Podia ter dado.
- Ora, Alfredinho, isso é motivo que se dê?
- Por que não? Se há motivo, está justificado. Sem motivo é que não cola.
- Então eu ia dizer ao seu chefe que você não trabalha hoje porque o seu horóscopo aconselha: “Fique em casa descansando”?
- E daí, amor? Se meu signo é Touro, e se Touro acha conveniente que eu não faça nada, como é que eu vou desobedecer a ele?
- É, mas com certeza seu chefe não é Touro, e não vai achar graça nisso.
- Ele é Áries, está ouvindo? E o dia não está para relações entre Áries e Touro. Pega aí o jornal. Faz favor de ler com esses belos olhos cor de pervinca: “Áries - Evite rigorosamente discussões com subordinados”.
- Mas se ele evitar, não tem perigo para você.
- Ele pode evitar, sim, deve evitar. E para colaborar com ele, eu fico em casa.
- Mas
se você não comparece, ele pode vir ao telefone e pegar numa discussão danada com você, dessas de sair fogo.
- Não atendo telefone durante o dia. Não posso atender. Não vê que estou descansando, que o horóscopo me mandou descansar? É favor não fazer rebuliço nesta casa. Amor e paz, para o descanso do guerreiro.
- Pra mim você está é com preguiça, e das bravas.
- Posso estar com preguiça, e daí? Preguiça é relaxante, restaura as energias, predispõe para o trabalho no dia seguinte. Mas uma coisa não tem nada a ver com a outra. Se eu não faço nada hoje, não é porque estou com preguiça. É em atenção a um mandamento superior, à mensagem que vem dos astros, você não percebe?
- Percebo, sim, mas não concordo.
- Pode se saber por que a excelentíssima não concorda com aquilo que percebe e que está devidamente explicado?
- Pode.
- Então explica, vamos.
- Gozado, Alfredinho, até parece que para você só existem dois signos no zodíaco: Touro e Áries, você e o patrão.
- Espera lá, você queria que eu não prestasse atenção em Touro? Áries eu li hoje por acaso, porque está ao lado de Touro, em coluna paralela.
- Coincidência: você saber que seu chefe é Áries, e...
- É sim.
- E por que você guardou na cabeça que ele é Áries?
- Ora por quê! Ele fez anos no mês passado, amorzinho. Até contei a você que oferecemos a ele uma batedeira. Soubemos que a mulher dele precisava de batedeira, fizemos uma vaquinha e pronto. Mas por que você diz que para mim só existem dois signos?
- Pelo menos Sagitário você ignora.
- Como que eu ia ignorar Sagitário, se é o signo de você, minha orquídea de novembro 25?
- É, mas esqueceu de ler que o dia é propício para reuniões sociais de Sagitário, e saiba que esta sua orquídea de novembro 25 vai reunir hoje as amigas aqui em casa. Trate de se mandar,querido.
- Sem essa! Touro me manda descansar em casa, e você me enche a casa com mulheres? É, Sagitário não ia fazer isso comigo! Eu já tinha harmonizado Touro com Áries!
- Pode continuar harmonizando, se for descansar em casa do Tostes, que é Virgem, eu sei, ele é nosso padrinho de casamento. O horóscopo do Tostes recomenda prestar serviço a um amigo. Assim, Touro, Virgem, Áries e Sagitário ficam inteiramente harmonizados, cada um na sua, um por todos, todos por um. Ande, vá se vestir rapidinho, rapidinho, e rua, seu vagabundo!
Fonte: Livro Para Gostar de Ler, Crônicas, ed. Didática,Carlos Drummond de Andrade, SP, Ática, 1978

TEXTO 2 : GATO POR LEBRE
Versões baratas pegam carona nos desenhos Disney

Um mês depois de chegar aos cinemas brasileiros, a chinesinha Mulan, da Disney, já ganhou clones. A distribuidora Flashstar lança nesta semana um desenho com o nome da personagem. Outra fita, O Segredo de Mulan, do selo Cosmos, está à venda em supermercados e lojas de departamentos. Nos dois casos, são produções baratas que não chegam aos pés do longa-metragem que as inspirou. São frutos de uma esperteza comum nos últimos anos: pegar carona nos sucessos da Disney. Também se encontram nas prateleiras das locadoras imitações de O Rei Leão, Pocahontas, Aladdin, A Bela e a Fera e O Corcunda de Notre Dame, entre outros títulos.
Uma cópia dessas está para um desenho Disney assim como uma abóbora está para a carruagem da Cinderela. Os desenhos clones são feitos, em geral, com um centésimo do orçamento das produções originais. O resultado é que as imagens são grosseiras, os enredos são toscos e a duração do filme mal alcança uma hora. Não é raro, ainda, que a história original ganhe adaptações de fazer corar um aprendiz de roteirista. Em O Segredo de Mulan, por exemplo, a protagonista é uma lagarta. Para quem não quer comprar gato por lebre, resta esperar o lançamento em vídeo do Mulan de verdade, previsto para o ano que vem.
Texto retirado da revista Veja, 5/8/98.
1. De acordo com os tipos de texto estudados em sala, responda:

a) Qual dos dois textos é narrativo? Justifique sua resposta, indicando os elementos da narrativa presentes no texto.




b) Como você classificaria o texto 2? Justifique sua resposta.

2. Indique os argumentos apresentados no Texto 2.

3. Explique esse argumento comparativo utilizado pelo autor: “Uma cópia dessas está para um desenho Disney assim como uma abóbora está para a carruagem da Cinderela”.

4. Em qual dos dois textos a linguagem se apresenta mais próxima do falar cotidiano, da linguagem informal? Justifique sua resposta.
5. Leia a passagem que segue e responda às questões:

“Nos dois casos, são produções baratas que não chegam aos pés do longa-metragem que as inspirou”.
a) Que palavra a palavra “as” substitui no texto?

b) Como se classifica, morfologicamente, a palavra “as”?

6. Leia a passagem que segue e responda às questões:

— Telefonaram do escritório, bem. Seu chefe mandou perguntar por que você não foi trabalhar.
— E você deu o motivo?
— Não.
— Podia ter dado.
— Ora, Alfredinho, isso é motivo que se dê?
— Por que não? Se há motivo, está justificado. Sem motivo é que não cola.
— Então eu ia dizer ao seu chefe que você não trabalha hoje porque seu horóscopo aconselha: “Fique em casa descansando”.

a) A que palavra ou fato a palavra isso se refere?

b) Como se classifica a palavra isso?

7. Sublinhe e classifique todos os pronomes das passagens que seguem:

a) “ – E daí, amor? Se meu signo é Touro, e se Touro acha conveniente que eu não faça nada, como é que eu vou desobedecer a ele?”

b) “ – É, mas esqueceu de ler que o dia é propício para reuniões sociais de Sagitário, e saiba que esta sua orquídea de novembro vai reunir hoje as amigas aqui em casa.”

8. Complete com pronomes pessoais de tratamento adequados.

a) O ministro disse para o Presidente da República:
- ____________________________ dialogará com a oposição?

b) Preocupado, o cardeal perguntou ao papa.
- _________________________________ sente-se mal?

c) No jantar, o Presidente perguntou à rainha.
- Quando __________________________ visitará o Brasil?

9.Como você classifica a palavra seu nas frases que seguem?

a) Seu chefe é competente.

b) Seu Renato, posso sair mais cedo hoje?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Loading...

professores apaixonados

Professores e professoras apaixonadas acordam cedo e dormem tarde, movidos pela idéia fixa de que podem mover o mundo.
Apaixonados, esquecem a hora do almoço e do jantar: estão preocupados com as múltiplas fomes que, de múltiplas formas, debilitam as inteligências.
As professoras apaixonadas descobriram que há homens no magistério igualmente apaixonados pela arte de ensinar, que é a arte de dar contexto a todos os textos.
Não há pretextos que justifiquem, para os professores apaixonados, um grau a menos de paixão, e não vai nisso nem um pouco de romantismo barato.
Apaixonar-se sai caro! Os professores apaixonados, com ou sem carro, buzinam o silêncio comodista, dão carona para os alunos que moram mais longe do conhecimento, saem cantando o pneu da alegria.
Se estão apaixonados, e estão, fazem da sala de aula um espaço de cânticos, de ênfases, de sínteses que demonstram, pela via do contraste, o absurdo que é viver sem paixão, ensinar sem paixão.
Dá pena, dá compaixão ver o professor desapaixonado, sonhando acordado com a aposentadoria, contando nos dedos os dias que faltam para as suas férias, catando no calendário os próximos feriados.
Os professores apaixonados muito bem sabem das dificuldades, do desrespeito, das injustiças, até mesmo dos horrores que há na profissão. Mas o professor apaixonado não deixa de professar, e seu protesto é continuar amando apaixonadamente.
Continuar amando é não perder a fé, palavra pequena que não se dilui no café ralo, não foge pelo ralo, não se apaga como um traço de giz no quadro.
Ter fé impede que o medo esmague o amor, que as alienações antigas e novas substituam a lúcida esperança.
Dar aula não é contar piada, mas quem dá aula sem humor não está com nada, ensinar é uma forma de oração.
Não essa oração chacoalhar de palavras sem sentido, com voz melosa ou ríspida. Mera oração subordinada, e mais nada.
Os professores apaixonados querem tudo. Querem multiplicar o tempo, somar esforços, dividir os problemas para solucioná-los. Querem analisar a química da realidade. Querem traçar o mapa de inusitados tesouros.
Os olhos dos professores apaixonados brilham quando, no meio de uma explicação, percebem o sorriso do aluno que entendeu algo que ele mesmo, professor, não esperava explicar.
A paixão é inexplicável, bem sei. Mas é também indisfarçável.
* Gabriel Perissé é Mestre em Literatura Brasileira pela FFLCH-USP e doutor em Filosofia da Educação e doutorando em Pedagogia pela USP; é autor dos livros "Ler, pensar e escrever" (Ed. Arte e Ciência); "O leitor criativo" (Omega Editora); "Palavra e origens" (Editora Mandruvá); "O professor do futuro (Thex Editora). É Fundador da ONG Projeto Literário Mosaico ; É editor da Revista Internacional Videtur -Letras (www.hottopos.com/vdletras3/index.htm); é professor universitário, coordenador-geral da ong literária Projeto Literário Mosaico: www.escoladeescritores.org.br)