Seguidores: é só clicar em seguir! Não precisa ter blog, só qualquer end. do Google.

terça-feira, 8 de julho de 2014

EXERCÍCIOS DE DISSERTAÇÃO

1. Observe as palavras nas frases abaixo. Trata-se de casos de “impropriedade vocabular”, ou seja, de palavras cujo significado não é adequado para o uso a que foram destinadas. Sua função é substituí-las por termos mais apropriados. Compare os seus resultados com os de seus colegas.

a) Os quatro rapazes sumidos na serra do Mar foram encontrados ontem.

b) Num laboratório da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, foi achada uma célula capaz de retardar o desenvolvimento do câncer.

c) Muitos banhistas sofreram queimaduras de pele devido à violenta luz do sol.

d) O time foi fazer uma excursão na Europa para que os jogadores ganhem mais vivência.

e) O rapaz foi preso no largo da Concórdia, onde marreteiros fazem a comercialização de todos os tipos de mercadoria.

f) O vestibulando garantiu que irá reunir condições de passar no exame.

g) Os parlamentares apresentaram sua intenção de investigar o caso.

h) Os alunos das escolas estaduais terão aulas aos sábados para botar a programação em dia.

i) O futuro é enigmático.

j) Suas criticas são demasiadas.

k) Depois de negar várias vezes, o deputado repentinamente assumiu sua culpa.

l) Será implantada uma refinaria na Baixada Fluminense.

m) A Sunab irá divulgar a tabela de preços a ser implantada a partir de segunda-feira.

n) A reunião marcada na terça-feira aconteceu com a presença de todos os ministros.


2- Nas frases abaixo, estão destacadas palavras e expressões cujo uso deve ser evitado. Trata-se de “modismo” e “frases feitas”, indicadores de pobreza vocabular de quem escreve. Procure substituí-las por palavras adequadas. Observe que , em alguns casos, pode-se simplesmente eliminar a palavra ou expressão destacadas.

a) A nível de revelação de novos talentos, o São Paulo está a todo vapor.

b) O psicólogo quis colocar uma questão. Para ele, é necessário permitir que os jovens conquistem seu espaço.

c) O assunto vai ser abordado sob um novo enfoque, que fuja à idéia de um caos inevitável.

d) De repente, resolveu assumir.

e) Em última análise, certamente expressões não dizem nada. Até porque muitas delas são dispensáveis.

f) Foi chocante: sabendo administrar o resultado do jogo de ontem, o Brasil carimbou seu passaporte para as semifinais do torneio de consolação.

g) A posição do ministro entrou em rota de colisão com as idéias da liderança sindical.

h) A inflação voltou a atingir patamares insustentáveis.

i) Os traficantes devem ser severamente penalizados pela lei.

j) A nível de prestação para os exames, pode-se sentir firmeza naqueles que, desde o começo do ano, saíram em busca do prejuízo.

k) Os familiares inconsoláveis não deixaram de recompensar os relevantes serviços dos policiais.

l) O leque de opções era limitado: agüentar as solenidades de praxe ou enfrentar o mau tempo reinante.

m) Agarrei-me à certeza de que, àquela hora, o estacionamento estaria literalmente tomado.

n) Depois de um longo e tenebroso inverno,vemos ressurgir a esperança em novos tempos.

o) A indústria de informática está ensaiando seus primeiros passos em direção ao futuro.

p) O brilhante cientista, morto prematuramente, será objeto de perpétuas saudades.

q) Os valorosos soldados do fogo conseguiram, após exaustivos esforços, debelar as chamas.

r) Foi uma agradável surpresa. Terá sido mera coincidência?

s) Foi aberto rigoroso inquérito, que faria as investigações necessárias. Posteriormente, seriam tomadas medidas drásticas.

t) Há um extenso programa a ser cumprido. É necessário, portanto, conjugar esforços.

u) Após acalorada discussão, seguida de intensa pancadaria, o jogador e o juiz foram encaminhados ao hospital com escoriações generalizadas.

v) O doutor Sizenando Peixoto, que dispensa apresentações, discorreu longamente sobre o tema da corrupção, dirimindo as dúvidas que eventualmente surgiram.

w) Um lamentável acidente fez com que perdêssemos o bonde da história. Parece que o destino nos quer tratar com requintes de crueldade.


3- As expressões destacadas constituem formas agressivas e preconceituosas de linguagem. Faça as substituições apropriadas em cada caso.


a) Os ecologistas são uns babacas! Estão de sacanagem, esculhambando com a sabedoria nacional. Estou com o saco cheio dessa avacalhação!

b) Não é à toa que tenho aquilo roxo!

c) É um tipo barrigudo e careca.

d) O rapaz era broxa e foi encaminhado a um especialista.

e) A garota, perneta e zarolha, não encontrava namorado.

f) Não há espaço para os pretos e os velhos naquela sociedade racista e competitiva.

g) O pivete foi preso ontem, juntamente com mais dois marginais. São todos elementos perigosos.

h) O pobretão tentava fazer-se passar por quem não era!

i) O papa-hóstia quer converter a todos.


4. Sublinhe os casos de repetições desnecessárias ( trechos dispensáveis)

a) Cada aluno, individualmente, terá direito a dois convites.

b) Na festa do dia 12, os funcionários possivelmente poderão levar seus familiares.

c) No próximo domingo, 28 de agosto, haverá um churrasco na escola.

d) Há muitos boatos na cidade. Os fatos reais, porém, são outros.

e) Os passageiros desciam do avião sucessivamente, um após o outro, de acordo com as instruções.

f) Os professores receberão este mês um abono adicional extra.

g) Segundo a minha própria opinião pessoal, ninguém deveria candidatar- se a nada sem curso superior.

h) A esfera terrestre é dividida em dois hemisférios, duas metades iguais do planeta.

i) O gabinete do presidente continua a permanecer aberto para todos os funcionários.

j) A miséria do povo é sintoma indicativo de renda mal distribuída.

k) Anexo a esta carta enviamos cópia do documento.

l) Os livros estavam superpostos na estante, uns sobre os outros, de modo a facilitar a consulta.

5. Substitua as palavras ou expressões sublinhadas por um sinônimo de tom negativo.

a) Comprava o necessário na lojinha do morro.
b) Meu marido se separou de mim.
c) O aluno escreveu algumas linhas na folha de redação.
d) Depois da operação, saiu muito branco do hospital.
e) Com o regime, ela ficou magra.
f) Caso venha a ficar mais gordo, o coração vai sofrer.
g) O aluno colou a etiqueta na capa do livro.
h) O cheiro que vinha do poço incomodava a todos.
i) Após a aula, houve grande agitação na sala.


6. Agora troque por sinônimo de tom positivo.

a) Os subversivos pretendiam sequestrar o embaixador.
b) Não terei tempo de ir ao casório.
c) A modelo pintou os beiços com batom vermelho.
d) Durante o culto, os fiéis berravam preces.
e) A escola de samba se arrastou pela avenida.
f) Pretendia lavar a cara nas águas do rio.
g) Lambuzou a peça com óleo de cozinha.

7. Reescreva as fases a seguir, modificado as palavras sublinhadas de acordo com as instruções entre parênteses.

a) A sala está suja. (intensificação negativa)

b) A sua namorada é bonita. (intensificação positiva)

c) O marido amava a mulher. (intensificação positiva)

d) A modelo possuía cabelos dourados ( intensificação positiva)

e) Sentiu nojo da bebida. (atenuação negativa)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Loading...

professores apaixonados

Professores e professoras apaixonadas acordam cedo e dormem tarde, movidos pela idéia fixa de que podem mover o mundo.
Apaixonados, esquecem a hora do almoço e do jantar: estão preocupados com as múltiplas fomes que, de múltiplas formas, debilitam as inteligências.
As professoras apaixonadas descobriram que há homens no magistério igualmente apaixonados pela arte de ensinar, que é a arte de dar contexto a todos os textos.
Não há pretextos que justifiquem, para os professores apaixonados, um grau a menos de paixão, e não vai nisso nem um pouco de romantismo barato.
Apaixonar-se sai caro! Os professores apaixonados, com ou sem carro, buzinam o silêncio comodista, dão carona para os alunos que moram mais longe do conhecimento, saem cantando o pneu da alegria.
Se estão apaixonados, e estão, fazem da sala de aula um espaço de cânticos, de ênfases, de sínteses que demonstram, pela via do contraste, o absurdo que é viver sem paixão, ensinar sem paixão.
Dá pena, dá compaixão ver o professor desapaixonado, sonhando acordado com a aposentadoria, contando nos dedos os dias que faltam para as suas férias, catando no calendário os próximos feriados.
Os professores apaixonados muito bem sabem das dificuldades, do desrespeito, das injustiças, até mesmo dos horrores que há na profissão. Mas o professor apaixonado não deixa de professar, e seu protesto é continuar amando apaixonadamente.
Continuar amando é não perder a fé, palavra pequena que não se dilui no café ralo, não foge pelo ralo, não se apaga como um traço de giz no quadro.
Ter fé impede que o medo esmague o amor, que as alienações antigas e novas substituam a lúcida esperança.
Dar aula não é contar piada, mas quem dá aula sem humor não está com nada, ensinar é uma forma de oração.
Não essa oração chacoalhar de palavras sem sentido, com voz melosa ou ríspida. Mera oração subordinada, e mais nada.
Os professores apaixonados querem tudo. Querem multiplicar o tempo, somar esforços, dividir os problemas para solucioná-los. Querem analisar a química da realidade. Querem traçar o mapa de inusitados tesouros.
Os olhos dos professores apaixonados brilham quando, no meio de uma explicação, percebem o sorriso do aluno que entendeu algo que ele mesmo, professor, não esperava explicar.
A paixão é inexplicável, bem sei. Mas é também indisfarçável.
* Gabriel Perissé é Mestre em Literatura Brasileira pela FFLCH-USP e doutor em Filosofia da Educação e doutorando em Pedagogia pela USP; é autor dos livros "Ler, pensar e escrever" (Ed. Arte e Ciência); "O leitor criativo" (Omega Editora); "Palavra e origens" (Editora Mandruvá); "O professor do futuro (Thex Editora). É Fundador da ONG Projeto Literário Mosaico ; É editor da Revista Internacional Videtur -Letras (www.hottopos.com/vdletras3/index.htm); é professor universitário, coordenador-geral da ong literária Projeto Literário Mosaico: www.escoladeescritores.org.br)